Muitos não dão importância para o Sindicato por desconhecer a história do trabalho, e como viviam naquela época, ou nos direitos conquistados a base de muitas lutas, enfrentamentos e mesmo a morte. Se hoje, temos algum direito e benefícios, não foram conquistados pensando em si próprio, como somente no que são seus, todos se uniram e entenderam que o “seu” está em meio ao “todos em comum”, lutando pelo mesmo direito.

Pra conhecer a história, vamos ao início da primeira Revolução Industrial, simplesmente não existiam direitos, havia exploração do sangue dos trabalhadores, condições insalubres, falta de total segurança no trabalho, contaminações ambientais por agentes químicos que se desconheciam na época seus efeitos eram tratados como nada, muitos morriam de tuberculose entre outras doenças, a média de vida era de 25 a 35 anos e deixavam órfãs que lotavam orfanatos e os mesmos eram explorados desde a infância pela sociedade dominante.

Será que seus direitos foram conquistados pelos políticos que seus avós, pais e você votaram? O movimento popular se faz sentir, a pressão na soma de uma multidão, aliás, quanto mais, mas poder alcança. Nenhuma conquista vem de políticos e suas campanhas, quase a totalidade se esquece das promessas como candidato daí que hoje, a maioria dos brasileiros estão cansados de ouvir as mesmas falas em comícios. Devemos conhecer a história, esta mesma que nos trousse hoje e render o respeito àqueles que ganharam nossos direitos, e não foi um só, foram inúmeros, estes heróis do anonimato que deram o grito de ordem e impuseram a criação de Leis que os defendiam.

Entre as atuais mudanças nas Leis Trabalhistas no Brasil está “o negociado prevalece sobre o Legislado”, isso significa a presença forte do Sindicato na defesa dos interesses do Trabalhador. Não existe igualdade de forças quando um lado tem o capital e a vaga de emprego, enquanto o outro não tem nada, senão sua força de trabalho sem um sindicato forte, como vamos negociar com o patrão? Como vamos discordar de alguma coisa que ele propuser? Que argumentos usaria para negociar pela pressão de não ter emprego se não aceitar a oferta do patrão? Sozinho o trabalhador fica emocionalmente fragilizado e acaba se rendendo a oferta escrava dos exploradores de mão de obra.

Sobre a contribuição sindical é para manter as ações necessárias, que também é trabalho, dos que defende a categoria, pois os mesmo viajam a longas distâncias, passam dias fora de casa, muitos nem tem muito convívio com a família, sofrem acidentes rodoviários, pressão e são ignorados e humilhados pelo patrão. Todos estes tem de se manter firmes emocionalmente, com objetividade e foco, sempre lembrando o número de trabalhadores que estes representam. Esta atividade não é para os fracos e oportunistas, quem se mantém e reproduz com determinação o que esperam deles, não responde por sua própria opinião, mas de acordo com a categoria que representa.

Ademais, os aumentos de salários, as melhores condições de trabalho e os benefícios sociais conquistados  são só para os sindicalizados, por isso quem defende a necessidade das contribuições diz que é justo os que recebem estas conquistas, pagarem. Existe todo um conjunto de atividade que dependem dessas contribuições para ocorrer.

#contribuiçãosindical #negociadoprevalecesobreoLegislado #Reformatrabalhista

Equipe Sintracoop – 12 de Junho de 2018 ás 11:50